CAU faz consulta pública sobre Tabela Indicativa para Honorários

O portal da Transparência do Conselho de Arquitetura (CAU Brasil) prossegue com a Consulta Pública sobre Tabela Indicativa para Honorários de Serviços de Arquitetura e Urbanismo. O objetivo desta consulta pública, que prossegue até o dia 2 de outubro, é ouvir arquiteto(a)s e urbanistas, conselheiro(a)s, o poder público, instituições públicas e privadas, professores e a sociedade sobre uma tabela indicativa para honorários de serviços de Arquitetura e Urbanismo no que tange, neste primeiro momento, projetos de Arquitetura, de Arquitetura de interiores e de execução de obra por administração.
Acesse o Portal da Transparência do CAU/BR para conhecer detalhes e participar da Consulta. Além de formulário com 23 perguntas, compõem a consulta pública outros documentos com fundamentos legais e considerações observadas na elaboração do trabalho. Integra ainda o conjunto uma apresentação de proposta para interface e funcionalidades de aplicativo para smartphones e web. para uso da Tabela.

O objetivo da Tabela é tornar-se referência para:

  • Balizar condições justas de contratação de Projetos de Arquitetura e Urbanismo e serviços correlatos;
  • Estabelecer relação clara entre o preço dos honorários e o escopo mínimo dos serviços a serem prestados;
  • Estabelecer critérios para o cálculo dos valores de remuneração;
  • Definir e caracterizar os principais componentes da remuneração profissional;
  • Auxiliar na formalização de propostas e contratos;
  • Orientar aos tomadores/contratantes de serviços quanto aos justos valores a serem cobrados, evitando, ao mesmo tempo, práticas abusivas ou aviltantes de preços.
  • Facilitar a utilização universal;
  • Garantir a acessibilidade, amplo conhecimento e transparência do conteúdo da tabela, aos
  • profissionais, seus clientes, públicos ou privados;
  • Fortalecer o papel do CAU na aferição da qualidade dos serviços prestados à sociedade, com os parâmetros da tabela;
  • Estabelecer bases mínimas adequadas para remuneração do profissional vinculado ao escopo mínimo obrigatório;
  • Ser uma ferramenta rápida para que os profissionais consigam elaborar propostas técnicas
    Fortalecer a universalização de uma tabela de honorários, como ferramenta para instituições públicas e privadas, enfatizando o cumprimento do escopo mínimo como garantidor de qualidade dos serviços de Arquitetura e Urbanismo;

A interface e conteúdos serão oferecidos via aplicativo para smartphones e web e apresentam cálculos complexos de forma mais interativa, intuitiva e objetiva. Essa dinâmica clara e simples proporciona a apresentação de propostas técnicas formais, num curto espaço de tempo, a partir de informações básicas.

Escopo mínimo x valor sugerido

A Tabela Indicativa está sendo elaborada para que atenda todas as metodologias de prestação de serviço de Arquitetura e Urbanismo baseada no conceito de escopo mínimo x valor sugerido, de modo que o profissional assuma o compromisso de entregar o escopo mínimo do serviço a ser prestado. A definição de um escopo mínimo e a utilização de uma ferramenta única fortalecem a capacidade técnica dos profissionais legalmente habilitados no CAU e contribuem para uma relação de transparência e compromisso no processo de contratações.

A metodologia utilizada busca considerar a realidade do mercado e apresenta de forma clara e didática as responsabilidades legais e os valores envolvidos na elaboração de serviços de Arquitetura e Urbanismo. A Consulta sucede a uma pesquisa realizada entre os dias 20 de junho e 20 de julho, que tratou da utilização da atual Tabela de Honorários (lançada em 2014). Participaram 2.112 arquitetos e urbanistas. Os resultados foram divulgados na 41ª Reunião Plenária Ampliada do CAU Brasil realizada no último dia 19 de agosto. Clique aqui para saber mais a respeito.

Fonte: CAU-SP

Notícias Relacionadas

Deixar uma resposta