O papel da Engenharia na implementação de políticas públicas

O último dia da 78ª Semana Oficial da Engenharia e da Agronomia (Soea), na sexta-feira (11), foi palco de debates centrados no tema “O papel da Engenharia na implementação de políticas públicas”, abordando o impacto e a atuação dos profissionais de engenharia em obras públicas e a análise de alternativas de projetos para a sustentabilidade socioambiental e o desenvolvimento econômico.

A engenheira civil Adriana Cuoco Portugal, auditora de Controle Externo do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TC-DF), abriu o painel com sua palestra sobre o “Papel dos Tribunais de Contas e do Ibraop nas obras públicas”.
Ela destacou a importância do controle e fiscalização rigorosos para garantir a conformidade, a transparência e a qualidade das obras financiadas com recursos públicos. “O papel dos Tribunais de Contas e do Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Ibraop) é analisar projetos de uma maneira antecipada às licitações e contratos, como forma de tratar alternativas a problemas já existentes. O engenheiro precisa entender a necessidade no papel de união dos diversos arcabouços legais para trazer um bom resultado para a sociedade”, finalizou Portugal.

Sustentabilidade
Em debate conduzido pelo conselheiro federal engenheiro mecânico Lucas Carneiro, painel abordou papel da engenharia para as políticas públicas brasileiras

 

Adriana Portugal
Auditora do TCDF Adriana Portugal

 

Anderson Rolim
Engenheiro civil Anderson Rolim, vice-presidente do Ibraop

Impactos socioambientais
No segundo momento, o engenheiro civil Anderson Uliana Rolim, vice-presidente do Instituto Brasileiro de Auditoria de Obras Públicas (Ibraop), apresentou uma visão aprofundada sobre “Procedimentos de auditoria de riscos e impactos socioambientais em infraestrutura”.

Ele enfatizou a necessidade de avaliar não apenas os aspectos técnicos das obras públicas, mas também seus impactos sociais e ambientais, garantindo o desenvolvimento sustentável. ”Há uma necessidade da administração pública na definição e escolha de projetos, e que isso seja feito de forma fundamentada tecnicamente, para que possibilite a escolha do melhor projeto atender a sociedade”, concluiu Rolim.

Alternativas sustentáveis
A palestra final, proferida pelo engenheiro mecânico André Luís Ferreira, diretor do Instituto de Energia e Meio Ambiente (IEMA), concentrou-se na “Análise de Alternativas de Projetos de Infraestrutura visando Sustentabilidade Socioambiental e Desenvolvimento Econômico”.

Sustentabilidade
Engenheiro mecânico André Luís Ferreira, diretor do IEMA

Ele explorou como a engenharia pode promover soluções inovadoras que considerem tanto os aspectos econômicos quanto os impactos ambientais, visando ao equilíbrio entre o desenvolvimento e a preservação. “Devemos usar a engenharia pra ajudar a selecionar projetos. Não basta fazer um bom projeto de engenharia, o projeto tem que ser de interesse público, e onde você define e seleciona esse interesse é antes da etapa de elaboração do projeto propriamente dito”, completou Ferreira.
Papel dos profissionais
No encerramento do painel, os palestrantes enfatizaram a importância da colaboração entre profissionais de engenharia, órgãos de controle e tomadores de decisão na formulação e implementação de políticas públicas eficazes. Eles destacaram que a engenharia desempenha um papel central na construção de um futuro mais sustentável, garantindo a qualidade das infraestruturas e a promoção do bem-estar da sociedade.

O evento sobre o papel da engenharia na implementação de políticas públicas proporcionou uma visão abrangente sobre como a expertise técnica da Engenharia pode contribuir para a gestão responsável e eficiente de projetos de infraestrutura, promovendo o progresso de maneira sustentável.

Fonte: Confea

Notícias Relacionadas

Deixar uma resposta