Entidades aderem ao plano nacional para reduzir mortes no trânsito

O Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito (Pnatrans) recebeu importante reforço nesta sexta-feira (18). Termo de compromisso assinado entre o Governo Federal, por meio do Ministério da Infraestrutura, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) e o Sindicato Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) marcou a adesão das duas entidades às ações.

Criado pela Lei 13.614/2018, o plano prevê ações voltadas para reduzir à metade o índice de mortes no trânsito, dentro de um período de 10 anos. Diversas unidades da federação já aderiram à iniciativa, que traz 160 ações prioritárias para reduzir o número de fatalidades nas rodovias. As entidades representativas vão atuar em dois pilares do plano: segurança veicular e educação para o trânsito.

“Nosso esforço se concentra em fomentar ações na busca de preservação de vidas, para diminuir o sofrimento que é perder uma pessoa querida em acidentes de trânsito e para garantir maior segurança nas rodovias do país”, destacou o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas.

Plano mundial

São seis pilares seguidos pelo Pnatrans: Gestão de Segurança no Trânsito; Vias Seguras; Segurança Veicular; Educação para o Trânsito; Atendimento às vítimas; e a Nomartização e Fiscalização. As ações do Pnatrans estão alinhadas com o plano global lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 2021.

“São diretrizes que vão nos ajudar ainda mais a construir uma metodologia uniforme para atuarmos em conjunto. A união sempre acaba trazendo bons resultados, já que precisamos contar com diversas instituições para que essas ações sejam implementadas por todas as unidades da federação”, afirmou o secretário nacional de Trânsito, Frederico Carneiro.

Fonte: Ministério da Infraestrutura

Notícias Relacionadas

Deixar uma resposta