Vinicius Marchese assume a presidência do Conselho Internacional de Engenheiros de Língua Portuguesa

 

Delegações do Confea e da Ordem de Engenheiros de Portugal durante a assinatura da consolidação do Termo de Reciprocidade Profissional, mantido pelas entidades desde 2015
Delegações do Confea e da Ordem de Engenheiros de Portugal durante a assinatura da consolidação do Termo de Reciprocidade Profissional, mantido pelas entidades desde 2015

Avançar para um intercâmbio internacional de capacitação para os profissionais do Sistema é a intenção do presidente do Confea, eng. Vinicius Marchese, dentro do Termo de Reciprocidade Profissional, firmado em 2015 com a Ordem dos Engenheiros de Portugal (OEP). Os aditivos ao Termo foram consolidados ao lado do bastonário eng. Fernando de Almeida Santos, durante a 1ª Cimeira Bilateral 2024 entre as duas entidades, realizada em Portugal, de 2 a 3 de março últimos. Na ocasião, Vinicius assumiu a presidência do Conselho Internacional de Engenheiros de Língua Portuguesa (Cielp). “Nosso principal objetivo à frente do Cielp será viabilizar a mobilidade profissional e de empresas de engenharia registrados no Sistema Confea/Crea”, informou Marchese.

Presidente do Confea, Vinicius Marchese, e bastonário da OEP, Fernando Santos, durante o seminário
Presidente do Confea, Vinicius Marchese, e bastonário da OEP, Fernando Santos, durante o seminário 

Durante o seminário “Engenheiros Brasileiros em Portugal: Reflexão sobre o Protocolo Portugal-Brasil”, realizado no primeiro dia da Cimeira, Vinicius Marchese comentou sobre suas expectativas para a continuidade da parceria com a OEP. “Eu acho que essa relação entre as duas entidades tem um potencial muito grande, a gente já conversou anteriormente a respeito de um intercâmbio para a capacitação profissional. E o nosso objetivo no Confea é esse, assumindo agora a gestão, nessa transição, nessa passagem de bastão depois do Joel: é dar continuidade àquilo que foi bom para os profissionais. O que der para melhorar, vamos melhorar, em prol da nossa profissão”, apontou.

Para o presidente do Confea, a consolidação do Termo de Reciprocidade Profissional “busca facilitar o entendimento do profissional engenheiro brasileiro que deseja requerer ser admitido como membro da OEP ou do profissional português que deseja ser registrado no Sistema Confea/Crea”.

Além de Vinicius Marchese, a delegação brasileira foi composta pelos conselheiros federais eng. Joel Krüger e eng. Marcos da Silva Drago, pelo presidente do CREA-SC, eng. Carlos Alberto Kita Xavier e pela funcionária da Gerência de Relações Institucionais e Inteligência do Confea, Bach. Rel. Internacionais Mônica A. Lannes Ribeiro.
Programação

Conselheiros federais Joel Krüger e Marcos Drago e presidente do Crea-SC, Carlos Alberto Kita Xavier, integraram a delegação
Conselheiros federais Joel Krüger e Marcos Drago e presidente do Crea-SC, Carlos Alberto Kita Xavier, integraram a delegação

A programação começou na sede da OEP, em Lisboa, com a realização do seminário “Engenheiros Brasileiros em Portugal: Reflexão sobre o Protocolo Portugal-Brasil”, que contou com a participação de brasileiros que já exercem suas profissões em Portugal, sob escopo do termo de reciprocidade. Durante o seminário, brasileiros puderam retirar dúvidas sobre o referido acordo, além de tratar sobre questões específicas previstas no termo de reciprocidade e que impactam a atuação profissional em Portugal, como o reconhecimento de atribuições profissionais.

Após o Seminário em Lisboa, a delegação brasileira e a equipe da OEP seguiram para a cidade de Fátima onde foi realizada, no dia seguinte, a reunião entre Confea e OEP para a assinatura do novo texto do Termo de Reciprocidade, consolidado em um documento único englobando os três aditivos assinados desde a celebração do acordo em 2015.

Ainda no domingo (3/3), foi realizada a reunião dos membros do Conselho Internacional de Engenheiros de Língua Portuguesa (Cielp), constituído em novembro de 2023, e composto pelo Confea, pela Associação de Engenheiros de Macau, pelo Ministério de Obras Públicas do Timor-Leste, pela Ordem dos Engenheiros de Angola, Ordem dos Engenheiros e Arquitetos de São Tomé e Príncipe, Ordem dos Engenheiros de Cabo Verde, Ordem dos Engenheiros de Moçambique e Ordem dos Engenheiros de Portugal (OEP).

O objetivo do encontro foi dar início às tratativas multilaterais relacionadas à mobilidade de profissionais entre os países de língua portuguesa. Durante o evento, foi iniciada a organização do próximo congresso de engenheiros de língua portuguesa, que será realizado em maio de 2025, em São Paulo, com tema e local ainda a serem definidos.

 

Mesa de trabalhos em busca do aperfeiçoamento da mobilidade profissional entre os países
Mesa de trabalhos em busca do aperfeiçoamento da mobilidade profissional entre os países

Na ocasião, o presidente Vinicius deixou registrado seu interesse de que a temática do congresso seja voltada para a mobilidade de profissionais engenheiros entre os países de língua portuguesa. “Outra meta definida durante a reunião é viabilizar a integração do Ciepl como membro observador junto à Comunidade dos Países de Língua Portuguesa e a Federação Mundial de Engenheiros (Fmoi)”, apontou o novo presidente do fórum, cujas próximas reuniões para a organização do Congresso a ser realizado em 2025 serão realizadas virtualmente.

Bastonário Fernando Santos e presidente Vinicius Marchese após a assinatura da consolidação do Termo de Reciprocidade Profissional
Bastonário Fernando Santos e presidente Vinicius Marchese após a assinatura da consolidação do Termo de Reciprocidade Profissional

Fonte: Confea

Notícias Relacionadas

Deixar uma resposta